Assembleia Geral: Sabatina com Rogério Rosso

/, Notícias/Assembleia Geral: Sabatina com Rogério Rosso

Assembleia Geral: Sabatina com Rogério Rosso

By | 2018-08-30T10:09:07+00:00 quinta-feira, 30 de agosto, 2018|Inicio, Notícias|0 Comentários

Dando sequência à série de sabatinas nas assembleias gerais das entidades de classe – Adepol & Sindepo – nesta quarta-feira(29) foi a vez do candidato ao Governo do Distrito Federal, Rogério Rosso (PSD), ser recebido pela categoria.

Assim como na primeira sabatina, o presidente do Sindepo, Rafael de Sá Sampaio, foi o mediador do evento e antes de passar a palavra ao candidato apresentou um panorama da atual situação da Polícia Civil do DF, da carreira de Delegado de Polícia e da gestão Rollemberg.

Adepol/Sindepo: O senhor pretende recompor os salários da PCDF, encaminhando a mensagem à União da concessão da paridade com a Polícia Federal? Em que momento?

Rogério Rosso (PSD): Sem hesitar, o candidato respondeu que a paridade da PCDF com a Polícia Federal é legítima. “No dia 1º de janeiro de 2019 a mensagem será encaminhada ao presidente eleito. Este será meu primeiro ato de governo e vamos fazer isto juntos. Não é questão de dar a paridade, é direito adquirido da categoria”.

Adepol/Sindepo: O senhor vai acolher a sugestão da categoria para indicação do Diretor-Geral da PCDF, a ser formulada por meio de lista tríplice?

Rogério Rosso (PSD): “A lista tríplice está 100% acatada. Posso ter amigos policiais, mas a Direção da PCDF vem da escolha da categoria através dos critérios que sempre foram levados em consideração”.

Adepol/Sindepo: A Polícia Civil vive uma situação de sucateamento imposta por Rollemberg nunca vista. São delegacias fechadas por falta de servidores, frota de viaturas antieconômica, etc. Qual é o seu projeto de valorização da Polícia Civil? Especialmente quanto a contratação de servidores e aquisição de equipamento?

Rogério Rosso (PSD): Sobre os equipamentos, o candidato reforçou que aguarda o orçamento de 2019, que deve ser divulgado dia 15 de setembro. “Tendo conhecimento do orçamento podemos junto às categorias entender as necessidades da PCDF em relação aos equipamentos e vamos resolver. Em relação a falta de pessoal, logo nos primeiros dias de governo vou chamar os excedentes dos concursos válidos. Minha ideia também é de terceirizar trabalhos nas delegacias para colocar os agentes em áreas prioritárias de investigação. Nós vamos oferecer melhores condições de trabalho e em contrapartida vamos ter o retorno de vocês. Será uma reestruturação em conjunto”.

Adepol/Sindepo: A Casa Militar é um quartel no Buriti, são quase 730 servidores militares cercando o Governador. As demais forças de segurança se ressentem dessa aproximação com o governo. O Senhor pretende mudar essa estrutura?

Rogério Rosso (PSD): No plano de governo do candidato há a criação de um Conselho de Segurança. “Todas as forças de segurança vão estar em meu gabinete, farão parte do governo em todas as decisões importantes relacionadas à segurança pública, não tem como ser diferente disso. Inclusive, para que haja harmonia entre as forças e não mais uma separação como fez Rodrigo Rollemberg”.

Adepol/Sindepo: O Senhor pretende “importar” o Secretário de Segurança Pública? Qual é a sua ideia para o exercício desta função?

Rogério Rosso (PSD): “Em 2010 meu secretário foi Kléber Monteiro, então já podem ter a certeza de que no comando da Secretaria de Segurança Pública vamos ter um representante que entenda o meio. Pode ser que façamos um rodízio entre delegados e coronéis, dois anos um e dois anos outro. A pessoa precisa conhecer a cidade, a instituição, ser um líder”.

Adepol/Sindepo: A Secretaria de Fazenda contingência todos os meses recursos do Fundo Constitucional sem ouvir a PCDF, burlando as leis orçamentarias. Apesar de o Fundo Constitucional ter sido criado para manter as forças de segurança do DF, não temos servidores participando da Coordenação de Gestão do Fundo ou na elaboração do orçamento que é encaminhado à União. Como o Senhor pretende tratar a questão do Fundo Constitucional?

Rogério Rosso (PSD): “O Fundo Constitucional é destinado a segurança pública e para um auxílio na saúde e na educação, mas não é o que temos hoje. A divisão está errada, por isso a criação do Conselho de Segurança é tão importante. Assim vamos ter transparência no uso desse recurso”.

Nesta quinta-feira, 30, a assembleia geral recebe o candidato Ibaneis Rocha (MDB) no auditório do Sindepo, às 18hs. Todas as assembleias serão gravadas e vão estar disponíveis no canal das Entidades Integradas no YouTube.

 

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário